A história de um milagre

Milagre
Com 36 semanas de gravidez, a brasiliense Bianca Toledo sentiu fortes dores abdominais, pegou a mala da maternidade e correu para o hospital. Levou um susto quando os médicos informaram que ela NÃO estava em trabalho de parto. Algo estava errado.
A decisão pela cesárea foi feita às pressas, pois seu estado de saúde piorava rapidamente. Ao entrar na sala de cirurgia, ela já estava entubada e entrou em choque assim que o bebê nasceu. Seu intestino havia rompido, o que provocou uma sepcemia generalizada. Todo seu organismo havia sido infectado e sua vida ficou por um fio. Foi desenganada pelos médicos.

Seu filho veio à luz quando ela estava inconsciente. Permaneceu 52 dias em coma, passou por 10 cirurgias no abdômen e no pulmão, foram feitas mais de 300 transfusões de sangue, sofreu duas paradas cardíacas e contraiu inúmeras bactérias hospitalares, inclusive a pior delas, chamada KPC. Os inúmeros antibióticos ministrados a deixaram desfigurada e com um quadro de edema generalizado. Os sistemas cardiovascular, respiratório e renal estavam falidos. A única esperança era um milagre.
Ao final do coma, sua respiração era mecânica e não havia mais movimentos corporais. Bianca somente mexia os olhos. Estava presa a um leito, sem poder falar, com muitas lembranças dos dias de coma, com febres terríveis, e longe de todos. Os dias passavam e ela permanecia ali, na mesma posição.
Todos os que a visitavam se impressionavam e muitos não continham as lágrimas. A aparência dela e o diagnóstico eram um desafio de fé até para os mais fervorosos crentes. Quando a transferiram para um outro hospital, suspenderam todos os medicamentos e… seu organismo surpreendentemente reagiu! Mas ainda não falava e nem tinha perspectiva de voltar a andar ou mesmo ficar em pé. Perdeu todo o cabelo, fazia 6 horas de hemodiálise por dia e, aos poucos, ficava livre do respirador. Havia grandes feridas abertas em seu abdômen, sem perspectiva de fechar e todos os dias tentavam métodos de drenagem e cicatrização.
Ela se comunicava através de um quadro com letras, onde apontava e formava frases, que na maioria das vezes diziam: “Tenho fome, tenho sede”. Estava há meses sem um gole de água e sonhava com o dia em que voltaria a ingerir alguma coisa. Aos poucos, as bactérias e o respirador foram vencidos. Os rins estavam fadados à hemodiálise definitiva ou a um transplante, mas voltou a funcionar na última semana de hospital.
Bianca recebeu alta, mas para continuar sendo tratada em casa. Conseguiu ficar em pé e dar uns poucos passos apoiada. A maior expectativa era de finalmente ver seu filho, que já tinha quase cinco meses. Quando chegou em casa, olhou para ele e ele sorriu. Ela ainda não podia tocá-lo, e foi assim por mais 40 dias. Não podia ser tocada por ninguém, por causa da colonização das bactérias.
Na pele, as marcas sutis dos 52 dias em coma
Na pele, as marcas sutis dos 52 dias em coma

Sua reabilitação foi intensa, porque ainda não caminhava, era totalmente dependente e usava uma bolsa de colostomia. Depois, tinha que usar um curativo grande – – com o estômago exposto – – e uma cinta. Em virtude de tantas cirurgias e a distensão abdominal, perdeu o músculo reto abdominal, que ficou lateralizado. A voz era muito baixa e rouca, por conta da traqueostomia e tantos meses sem falar. Bianca reaprendeu a vida nos mínimos detalhes. A perda dos cabelos, a perda da voz, as inúmeras marcas no corpo, a construção do vínculo com seu filho. Recentemente, passou por mais uma cirurgia para a reconstrução do abdômen. Para a completa surpresa dos médicos, o interior estava perfeito, sem aderências e com uma cicatrização total. O músculo (que em exames de toque parecia impossível de se restaurar e o pouco que existia dele estava lateralizado) estava totalmente dobrado e foi reconstruído por completo, usando uma tela apenas para reforçá-lo.

Hoje sua vida é completamente nova. O relato de sua experiência está registrado no livro A História de Um Milagre, da Editora Reino. Deus pode todas as coisas. A recuperação de Bianca Toledo é um milagre. Milagres acontecem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: