Mentirinhas “brancas”

“Por isso, deixando a mentira, fale cada um de vós a verdade com seu próximo…” Ef. 4:25

42-16174413Muito freqüentemente determinadas situações nos impulsionam a dizer o que chamamos de “meia-verdade”. Pensamos com facilidade que aquela “outra metade” em nada diminuirá ou acrescentará ao fato se for omitida ou ‘levemente’ transformada, e saímos da situação muito bem, obrigada! Secretamente satisfeitos de termos sido convincentes na nossa versão não pouco egoísta.

Cada pessoa que relata uma história, se nela está envolvida, enfatizará o lado em que obviamente lhe for mais conveniente, pois ninguém quer declarar quão ridículo foi aquele comentário, que talvez tenha depreciado a alguém ou acrescentado uma inverdade sobre outra pessoa, levando a uma situação de completo desconforto para os que participavam da conversa, bem como em um embaraço sem precedentes para o que devia ter ficado de boca fechada.

A Bíblia declara: “Seja a tua palavra sim, sim, não, não. O que disto passar  vem do maligno.” Mt. 5:37

Esta afirmação implica em falar a verdade com segurança mesmo que para isso seja necessário assumir sua parcela de culpa, desculpar-se por coisas ditas impensadamente ou ainda reconhecer que estivera equivocado. Se tal for a conduta, não precisaremos nos preocupar com nossos lapsos de memória, pois para manter uma inverdade, precisaremos de mais mentiras, que acabarão por vir em série. Daí, até lembrar-se da seqüência correta, muita coisa já aconteceu e certamente estaremos, a essa altura, numa “saia justa”.

“Mentirinhas brancas” muitas vezes podem parecer inofensivas, mas ainda assim são mentiras. Não importa se brancas, pretas, roxas. Ainda que transparentes, sempre serão mentiras. Grandes, pequenas, são mentiras. Pessoas são enganadas por elas independentemente do nível a que se apresentem. Deus é entristecido por causa delas, mesmo que Ele entenda os motivos injustificáveis de nossas desculpas por tê-las ditos. E nós podemos perder o céu por elas, o que seria uma troca injusta, já que conhecemos a história de como o ganhamos.

“Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhes os desejos. Ele (…) jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. (…) Se vos digo a verdade, por que razão não me credes?” Jo. 8:44, 46

É mais fácil acreditar numa mentira do que aceitar uma dura verdade, pois esta requer muitas vezes maturidade em vários aspectos, principalmente espiritual, ainda mais quando depende de nossa humildade pra que seja aceita.

Deus Se agrada de homens e mulheres verdadeiros, que O amam e desejam sinceramente seguir-Lhe os passos. Se conhecermos a liberdade que há na Verdade (Jo. 13:6, Jo. 8:32), seremos realmente libertos da multicolorida face da mentira, e seremos, de fato, filhos de Deus.

By GP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: