“Respira fungos…”

42-20404333Quantas vezes fomos mal entendidos por coisas que falamos? Ou quantas vezes dissemos coisas que não queríamos numa tentativa fracassada de dizer outra? Isso acontece muito freqüentemente com as crianças. Elas têm a capacidade de dar às coisas que falamos uma nova interpretação, e criar, no jeito delas, uma denotação graciosamente diferente.

Certa vez, uma garotinha de três anos gostava muito que seu tio brincava com ele de estralar as costas. Então ela deitava de bruços, abria os braços, posicionava a cabeça de lado e dizia: Já tio. Então, o tio falava: “Agora, respira fundo!”, e carinhosamente pressionava-lhe as costas enquanto ela soltava o ar pela boca e sentia os estalos. Quando terminava, ela dizia: “Tio, é minha vez agora.” Então, pedia que ele deitasse de bruços, abrisse os braços, pusesse a cabeça de lado e dizia pra ele: “Tio, Respira fungos.”

Se “construirmos” essa cena, nos depararemos com uma situação no mínimo cômica, pois a inocência de uma criança traduz a simplicidade de um coração desprovido de qualquer malícia ou preconceito. E devemos assemelhar-nos às crianças, pois esse foi o conselho do Mestre: “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus. (Mt. 18:3 e 4).

Devemos ser cautelosos no falar, sabendo que as palavras, uma vez lançadas não voltam à boca, são como “águas profundas” (Pv. 18:4). A bíblia nos dá muitas lições de como devemos proceder em relação ao que falamos. Em Colossenses 4:6 lemos que nossa palavra deve ser sempre agradável, temperada com sal, para sabermos como devemos responder a cada um. Significa dizer que ganhamos muito quando pensamos antes de falar para que não fiquemos “enredados com o que dizem nossos lábios (…)” (Pv. 6:2).

Deus envia ao nosso encontro pessoas necessitadas de uma palavra de apreço, e cabe a nós alegrá-las com “boa palavra” (Pv. 12:25). Muitas vezes são pessoas que trazem na alma as marcas do descaso, da incompreensão e do desamor causados por palavras duras e cruéis. Tiago 3:5 considera: “Assim, também a língua, pequeno órgão, se gaba de grandes coisas. Vede como uma fagulha põe em brasas tão grande selva!”.

Ninguém nunca perdeu nada por ter ficado calado (Pv. 17:27), exceto a satisfação momentânea de uma palavra dita por impulso, para não “ficar por baixo”. Não podemos medir a profundidade do que dizemos até chegarmos ao coração sensível de uma pessoa que só precisava do nosso silêncio. Em determinados momentos, não nos é necessário falar, a menos que sejamos solicitados a fazê-lo, pois “o homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra, a seu tempo, quão boa é!” (Pv. 15:23).

“Jesus não suprimia sequer uma palavra da verdade, mas falava sempre com amor. Ele tinha tato e prestava bondosa atenção ao interagir com as pessoas. Nunca se mostrava rude, jamais pronunciava uma palavra severa sem necessidade e evitava causar dor desnecessária a uma pessoa sensível. Ele não censurava a fraqueza humana. Falava a verdade, mas sempre com amor. Denunciava a hipocrisia, a incredulidade e a iniqüidade; mas Suas repreensões rigorosas eram sempre proferidas com lágrimas e tristeza. (…) Sua vida foi (…) repleta de cuidados pelos outros. Cada pessoa era preciosa aos Seus olhos. (…)” Ellen G. White, Esperança para viver, pág. 10.

Assim como o Mestre, podemos ter sempre nos lábios palavras agradáveis, sem ofuscar o brilho da verdade, mas apresentando-a com consideração e apreço. Pessoas sempre valem mais; desde o princípio do mundo, foi por amor às pessoas que o precioso Dom de Deus, a expressão máxima de Seu amor, desceu à terra e Se fez um de nós. NEle, nossa palavra pode ser sempre sim, sim; não, não (Mt. 5:37). Não existe meio termo.

Agora, para que as pessoas não confundam “respira fundo” com “respira fungos”, só mesmo uma comunhão estreita com o Verbo e Sua Palavra. Dessa forma, podemos estar seguros de que nossas palavras transmitirão nobreza de caráter e firmeza de propósito, e estaremos empregando nossa língua no trabalho do Senhor, pois “… assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.” (Is. 55:11)

By GP

2 comentários em ““Respira fungos…”

Adicione o seu

  1. Eu também conheço os personagens dessa história…..rsrsrrs bjs!!!
    Realmente as crianças são muito puras…não tem maldades em seus corações.
    Sua mensagem no contexto dessa história é 10.
    bjs!!!

  2. Eu tenho a impressão que conheço os personagens dessa história! rsrsrs
    Mas a mensagem que vc passou através dela é belíssima!
    Parabéns!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: